EXCLUSIVO! Fonte revela tudo sobre a Chevrolet Spin!

Falta pouco para conhecermos oficialmente a nova minivan da Chevrolet, a Spin. Nessa semana, algumas filiais da marca pelo mundo já divulgaram algumas informações, como publicamos aqui.

Logo depois, tivemos acesso a algumas informações mais detalhadas sobre a minivan. Nossa fonte revelou muito sobre a novidade, desmentindo inclusive algumas informações que tem sido publicadas nas últimas semanas. Leia abaixo as informações que só seriam reveladas no final do mês!

Ampla gama de versões e cores para conquistar novos clientes

A Chevrolet Spin terá uma difícil missão, pois chegará para substituir Meriva e Zafira, de uma só vez. Para conseguir isso, a novidade chegará com três versões, LS, LT e LTZ, sendo que a intermediária e a top de linha ficarão divididas em alguns níveis de equipamento. Com isso, a Spin terá a seguinte linha:

LS (câmbio manual de 5 marchas e 5 lugares): direção hidráulica, ar-condicionado, airbag duplo, banco do motorista com ajuste de altura, faróis com ajuste de altura e função Siga-me, freios ABS com EBD, imobilizador, chave canivete e rodas de aço aro 15 com calotas.

LT I (câmbio manual de 5 marchas e 5 lugares): itens da versão anterior + maçanetas e retrovisores na cor do veículo, vidros e travas elétricos, abertura das portas na chave, coluna da direção com ajuste de altura e alarme.

LT II (câmbio manual de 5 marchas e 5 lugares): itens da versão anterior + rodas de alumínio de 15 polegadas, sistema de som com CD/MP3/USB e Bluetooth.

LT III (câmbio automático de 6 velocidades e 5 lugares): itens da versão anterior + piloto automático (cruise control) e transmissão automática de 6 velocidades.

LTZ I (câmbio manual de 5 marchas e 7 lugares): todos os itens acima + computador de bordo, retrovisores elétricos, controles de rádio no volante, faróis e lanterna de neblina, sensor de estacionamento, rack de teto e acabamento interno superior.

LTZ II (transmissão automática de 6 velocidades e 7 lugares): versão mais completa, com todos os itens acima e transmissão automática de 6 velocidades.

Interior promete superar concorrentes

A Chevrolet sabe que estará entrando num concorrido segmento. Nele, a principal preocupação dos consumidores é com o ambiente interno, especialmente com o acabamento e os materiais usados. Nisso, a marca promete superar seus principais rivais.

O interior da Spin terá dois tons: bege e café. Ao entrar nela, os ocupantes poderão notar grande parte dos instrumentos usados no Cobalt, como o conceito da marca de Dual Cockpit, painel de instrumentos com tacômetro analógico e velocímetro digital, entre outros. Apesar disso, existem também algumas melhorias em relação ao sedã compacto.

O volante, por exemplo, terá revestimento em couro e comandos do rádio, do piloto automático e do Bluetooth (nas versões mais caras). Os bancos vão privilegiar o conforto e a boa posição do motorista, tendo tom de café com detalhes em bege (versão LT) ou bege com detalhes em café (LTZ). O banco do motorista terá 4 níveis de regulagem, enquanto que as versões com 7 lugares terão um fácil sistema de rebatimento das 2ª (60/40) e 3ª fileiras.

Também, como não poderia faltar numa minivan, a Spin contará com 32 porta-objetos e um porta-luvas com nova abertura superior da tampa.

Espaço interno vai agradar?

Outro ponto importante entre as minivans. No caso da Spin, suas medidas serão: 4,36 m de comprimento, 1,73 m de largura, 1,66 m de altura e distância entre-eixos de 2,62 m. Todas essas medidas a colocam acima de seus concorrentes, exceto na altura, onde ela perde para Fiat Idea e C3 Picasso. O tanque de combustível será de 52 litros, enquanto que seu porta-malas terá as seguintes capacidades:

  • 7 lugares com 3ª fileira rebatida: 553 litros
  • 7 lugares com 2ª e 3ª fileiras rebatidas: 952 litros
  • 5 lugares com bancos erguidos: 710 litros
  • 5 lugares com 2ª fileira rebatida: 1068 litros

Conjunto mecânico chega com novidades

O motor que será usado inicialmente pela Spin, diferente do que tem sido publicado, será apenas o 1.8 8V Econo.Flex, inclusive na versão de entrada LT. O motor tem 4 cilindros e taxa de compressão de 10,5:1. Sua potência é de 106 (G) ou 108 (A) cavalos, a 6.200 rpm. O torque fica na casa dos 16,4 (G) ou 17,2 (A) kgfm, a 3.200 rpm.

Esse propulsor tem várias novidades, como novo indutor e novo ressonador de ar, o que gera respostas mais rápidas e mais eficiência. Além disso, o conjunto vem com Controle Eletrônico do Acelerador, que permites respostas mais suaves. As opções de transmissão da Spin, como você já leu acima, serão a manual de 5 marchas ou automática de 6 velocidades.

No caso da segunda, que vai equipar as versões mais caras, o motorista terá a opção de trocas manuais na parte lateral da alavanca e a Função adaptativa, que reprograma vários parâmetros de acordo com a maneira de dirigir do motorista. A suspensão da Spin será independente, do tipo McPherson (dianteira) e semi-independente, com molas helicoidais (traseira). Os pneus são 195/65 R15.

Garantia, gama de cores e acessórios:

A Chevrolet vai oferecer 3 anos de garantia para a Spin, sem limite de km, no caso de compra para uso pessoal. Em compras feitas por pessoa jurídica, ou para quem usará o veículo para fins comerciais, a garantia é de 1 ano ou 50.000 km, o que ocorrer primeiro. A primeira revisão deverá ser feita aos 10.000 km.

A linha de cores do modelo terá as opções sólidas Branco Mahler e Preto Global, e as metálicas Prata Polaris, Cinza Mond, Cinza Rusk, Azul Macaw, Bege Desert e Verde Lotus. A marca ainda oferecerá vários acessórios, como friso lateral pintado, ponteira esportiva, carpete, protetor de para-choque pintado, vidros elétricos automatizados, cobertura do porta-malas, farol de neblina, entre outros.

[Fotos: Vrum]

  • Manuel Macêdo

    Acho que o pessoal da GM desaprendeu a fazer carro. Mas esse é o primeiro projeto desenvolvido no Brasil e será exportado para 40 países, isso é piada??? Qual país ira aceitar esse "projetinho de carro tupiniquim", só se for do tipo Gabão, Sri Lanka, Uzbequistão, Belize, Bermudas, rsrsrsrs. Fui por 6 anos proprietário de Zafira (2), mas essa Spin foi o retrocesso da GM, o banco da 3ª fileira é inteiro não podendo ser usado com 6 passageiros e um pouco de porta malas, e o pior, esse banco ocupa espaço, bem diferente da Zafira que fica embutido deixando a mala plana, sem falar nesse motorzinho, nessa trazeirinha, nessa rodinha, e na pobreza de itens de segurança e conforto. É uma pena… por isso já mudei de Montadora. Manuel Macêdo.

  • ThiagoSantos11

    Infelzimente devo ter sido um dos primeiros infelizes a comprar uma SPIN, e digo a todos NÃO COMPREM A SPIN!!
    Logo que peguei o carro percebi que após uns 15 ou 20 minutos o banco se torna EXTREMAMENTE DESCONFORTÁVEL de dirigir, pois as "abas laterais" são muito duras e mais parecem duas madeiras fincadas na sua coxa.
    Pra mim que fico pelo menos 2hs por dia no carro, é insuportável e saio com dores nas pernas e nas costas.
    MUITO CUIDADO, POIS NO TEST-DRIVE DE 3 MINUTOS VOCÊ NÃO PERCEBE ISSO!!

    • JANCARLOS

      Nada haver, comprei uma, excelente conforto.

  • sergio

    Livina X Spin X Lodge.Vamos ver que ganha a batalha do custo benefício.Pelo visto a Livina em pouco tempo deve sofrer reestilização.

  • Danilo Pires

    Olá!
    Eu achei a Spin muito interessante. Gostei do estilo das peças de carro da Spin e realmente, é um carro bem familiar.

  • Marco_Aurelio

    Essa Spin já não é bonita e na cor preta então, estará mais prá carro de funerária ou rabecão. Sem falar que essa traseira é medonha!!! A Chevrolet definitivamente perdeu a mão de como se faz carros bonitos. Tá difícil passar na porta de uma concessionária GM nos últimos tempos. 🙁

  • projetoscol

    Achei interessante, AB2 e ABS com EBD e Ar condicionado de série em todos os modelos se vier por 42k como é previsto, vai vender feito coca-cola.

  • A impressão que tenho é a de que boa parte das pessoas tem dificuldade em assimilar o estilo da linha Cobalt. Especialmente pela frente e os farois desproporcionais. Na Van esse estilo é um pouco neutralizado, mas vale comentar que não teria custado nada diferente do que custou a GMB projetar um carro menos polêmico. Mas é certo que o comprador de Vans pensa primeiro na família e na utilização interna como fala o texto. Nesse sentido a Spin poderá ir bem.

    A conferir.