Médias de consumo divulgadas pelas marcas ficam mais reais

Sabe aquelas médias de consumo excelentes, divulgadas pelas montadoras, que seu carro deveria fazer? Ah, você nunca conseguiu chegar nem perto dela? Saiba que isso vai mudar em breve.

A primeira coisa a ser dita é em relação a como elas são obtidas. Seguindo a norma NBR 7024, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), as montadoras podem testar seus carros em laboratórios, com uma velocidade controlada e sobre um dinamômetro. Além disso, o ambiente é refrigerado e o combustível é o melhor possível, daqueles que dificilmente você encontrará no posto que costuma abastecer.

Tudo isso, obviamente, torna os testes quase irreais, longe daquilo que o brasileiro enfrenta todos os dias no trânsito. Para mudar esse cenário, o Inmetro divulgou uma nova fórmula para as montadoras calcularem as médias, de acordo com a Portaria nº 10, de 11 de janeiro de 2012. A mudança não será fisíca; os testes continuarão sendo feitos em laboratórios, como descrito acima. Mas o novo cálculo vai introduzir um fator de correção, que visa tornar o resultado mais fiel à realidade. Veja abaixo a nova (e complicada) maneira de calcular as médias de consumo:

Na prática, um veículo que antes era divulgado como obtendo 15 km/l de média, agora terá no máximo 11 km/l, algo bem mais próximo do que se conseguiria na vida real. A nova regra já está em vigor para os fabricantes desde o dia 15 de abril desse ano, mas somente agora foi divulgada. No entanto, nem todas as marcas serão obrigadas a se adequar, apenas aquelas que costumam divulgar esses números como um elemento na publicidade.